divendres, 23 de març de 2018

EVOCO



Evoco as canções
que acompanharam as longas fileiras de caravanas
à conquista d’um espaço em alvo,
e novamente volto a sospesar a intensidade de cada palavra.

Ando noite e dia por uma paisagem inventada
enquanto penso nas horas esmagadas e lançadas à lixeira,
também nas outras onde tomavam corpo e alma
seres com os quais joguei a forjar ficções plausíveis.

Evoco e me lambo as feridas como um gato velho
que, altivo e arrogante, nega-se a assumir as derrotas.

Evoco e escrevo com ânimo de vingança com as garras d’um gato.

****
Tradução de Santi Zorio

Cap comentari: